ANA, A MÃE EXTRAORDINÁRIA

Não encontramos na Bíblia homenagens específicas às mães com um dia determinado, uma vez que esta prática é relativamente nova. O que encontramos, dentre muitas, são as que se destacaram por sua piedade. Foram verdadeiras fontes de sabedoria na vida de seus filhos.

Uma delas, muitas vezes lembrada neste dia, e com total acerto, trata-se da mãe do profeta Samuel. Sofreu resignada as afrontas da segunda mulher de seu marido, que se tornou mãe, sem que ela viesse a engravidar. Era estéril.

Entretanto, não desistiu de seu desejo de ser mãe, e procurou a Deus através da oração, a fim de que lhe desse um filho. E conclui seu pedido assim: “ao Senhor o darei por todos os dias da sua vida, e pela sua cabeça não passará navalha” (I Sam. 1: 10-11) Que voto extraordinário partiu de seu coração abatido, cujas lágrimas escorriam por sua face.

“Ao Senhor o darei”. Não se importava em curtir o filho tão desejado, mas queria torna-lo um homem de Deus. E assim fez. Algum tempo depois, com o pequeno, foi à casa de Deus, o Tabernáculo de Israel, e o levou ao sacerdote Eli. E disse-lhe: “Por este menino orava eu, e o Senhor atendeu a petição que eu lhe fiz. Por isso eu também o entreguei ao Senhor; por todos os dias que viver, ao Senhor está entregue. E adoraram ali ao Senhor”.(I Sam.1:24-28)

Ana foi uma mulher de oração. Que exemplo notável para as futuras mamães, muitas vezes preocupadas, com sua saúde ao nascer, com planos para sua vida, com  recursos para sua educação ,aspirações mais do que corretas, mas se esquecem de “entrega-lo ao Senhor”. Uma entrega não física, como a de Ana, mas uma entrega que cuida de seu coração desde os primeiros dias, apresentando-o ao Senhor, ensinando suas verdades, e jamais se descuidando de sua educação nos assuntos espirituais.

O resultado dessa entrega é digno de nota quando acompanhamos a longa vida do profeta Samuel. Como a mãe, era um homem que orava com sinceridade e jamais se esquecia dos preceitos de Deus. Ele mesmo declara: “E quanto a mim, longe de mim esteja o pecar contra o Senhor, deixando de orar por vos; eu vos ensinarei o caminho bom e direito”. (I Sam.12:23). E o salmista, muitos anos depois, corrobora sua afirmativa: Moisés e Arão entre os seus sacerdotes, e Samuel entre os que invocavam o seu nome, clamavam ao Senhor, e ele os ouvia”. (Salmos 99:6)

Mais ainda: Samuel era um profundo conhecedor das Escrituras, tal como sua mãe ao escrever seu majestoso cântico: “Ninguém há santo como o Senhor; não há outro fora de ti; não há rocha como o nosso Deus”. I Samuel 2: 1  a 10).

Nossa  homenagem neste lindo dia a todas as mães cujos filhos hoje são adultos, muitos tementes a Deus e andando em seus caminhos. E por que não a nossa homenagem àquelas, que embora os tenham ensinado os caminhos de Deus, deles se afastaram. Sejam persistentes como Ana na oração.

Por fim, nossa homenagem, também, às mães cujos filhos estão crescendo, ainda, em seus braços. Que sejam conduzidos aos pés de Jesus desde os seus primeiros dias, e jamais deixem de “entrega-los” aos cuidados de Deus, para que sejam homens fortes de mães extraordinárias.

Que assim seja

Orlando Arraz Maz©

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *