DEUS É O DEUS QUE NOS VÊ

E ela chamou, o nome do Senhor,
que com ela falava, El-Rói; pois disse:
Não tenho eu também olhado neste lugar
para aquele que me vê? (Gên.16:13)

Em meio a tanto sofrimento, Agar, grávida, foi despedida por sua senhora, Sarai. Levando um filho no ventre, quem sabe uma pequena mochila sobre seus ombros, partiu em direção ao deserto. Apesar de toda dificuldade de uma gravidez, e seus incômodos, encontrou uma fonte no deserto para mitigar sua sede.

E foi exatamente neste lugar que o anjo do Senhor a viu. Sendo Deus encarnado, ali presente, já conhecia seu nome, mas quis ouvir de seus lábios sua história.

Muitas vezes no meio de um redemoinho de aflições, nosso desejo é fugir para um lugar distante, e nos esquecemos de que Deus está em toda a parte. Esta foi a experiência do salmista: “Para onde me irei do teu Espírito, ou para onde fugirei da tua presença?”(Salmo 139:7). Assim como Agar foi encontrada e respondeu com sinceridade, o Senhor Jesus, também nos conhece, sabe nosso nome, e deseja nos ajudar.

A bendita mão do Senhor sempre vem em nossa direção, pois assim afirma sua palavra: “Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para que não possa ouvir” (Isaias 59:1). Então, no deserto de nossas tristezas, dúvidas, desespero, abandono, lágrimas, ele nos ouve e suas mãos nos alcançam com seu poder.

Agar, depois de ouvir uma maravilhosa promessa por parte do anjo do Senhor, que inundou seu coração de alegria, soube que foi ouvida em sua aflição: “porquanto o Senhor ouviu a tua aflição”. E chamou o nome do Senhor, “Tu és El-Roí, o Deus que Me Vê”.

Hoje,se tudo ficou escuro ao seu redor, creia que ele é o Deus que vê, e a escuridão para ele é como a luz: “Se eu cogitar: As trevas, ao menos, haverão de me envolver, e a luz ao meu redor se tornará em noite, constatarei que nem as mais densas trevas são obscuras para teu olhar, pois a noite brilhará como o meio-dia, porquanto para ti as trevas são luz”(Salmos 139:11,12).

Não se esqueça destas verdades preciosas, pois mesmo no mais escaldante deserto das tristezas e provações, Deus é o Deus que te vê. Creia somente.

Que assim seja

Orlando Arraz Maz©

 

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *