INCREDULIDADE – SEUS PREJUÍZOS

 

Incredulidade

 

Mas os homens que haviam subido com ele disseram: Não conseguiremos subir contra aquele povo, porque é mais forte do que nós. Então, depreciaram diante dos israelitas a terra que haviam sondado: A terra por onde passamos para conhecê-la é uma terra que devora os seus habitantes; e todos os que vimos nela são homens de grande estatura. Também vimos ali os nefilins* (pois os descendentes de Anaque procedem dos nefilins); e éramos como gafanhotos aos nossos próprios olhos e também aos olhos deles.( Números 13:31-33)

O relato dos dez espias faz parte de um dos acontecimentos mais tristes da história do povo de Israel.

As vitórias alcançadas sobre os egípcios ainda estavam vivas na memória do povo: as pragas horrendas, a saída vitoriosa do povo, a travessia pelo mar, e por fim a morte de todo o exército de Faraó, sepultado nas águas do mar.

Entretanto, tais fatos grandiosos de nada serviram para fortalecer a fé dos israelitas, que diante das dificuldades deixaram de crer em Deus. Mergulharam em completa incredulidade, ao darem ouvidos ao relato dos espias, que faltaram com a verdade.

Apenas dois deles – Josué e Caleb – não concordaram com a descrição da terra fornecida pelos demais. Primeiramente, espalharam o desânimo, informando que “aquele povo é mais forte do que nós”; depreciaram a terra escolhida pelo Senhor Deus, e mentiram alegando que é uma terra que devora seus habitantes e que seus homens são gigantes, e eles, simplesmente, gafanhotos. Se tivessem depositado sua confiança em Deus, a visão seria outra: eles, gigantes e os moradores da terra, gafanhotos. Eles se esqueceram e não confiaram que “Ele (Deus) é o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; ele é o que estende os céus como cortina e os desenrola como tenda para nela habitar”. (Isaias 40:22).

Quantas vezes agimos de igual modo, mesmo depois de sermos homens e mulheres vitoriosos, testemunhas oculares do poder de Deus, que vimos o “mar” se abrindo e formando uma perfeita estrada por onde atravessamos tempos difíceis.

No meio de tanta incredulidade, Josué e Caleb se despontam no meio da multidão, e revoltados diante das falsas informações, rasgam suas vestes, e afirmam que a terra é extraordinária. E mais adiante: “Apenas não sejais rebeldes contra o Senhor e não temais o povo dessa terra, pois será comido por nós como pão. Eles estão sem defesa, e o Senhor está conosco. Não os temais”  (Núm.14:7,9).

Entretanto, de nada adiantou e Deus puniu com morte os dez espias e o povo com mais de vinte anos morreu durante a caminhada pelo deserto e não entraram na terra prometida.

Hoje a incredulidade mora em muitos corações, e é a causa de tristeza e retrocesso nas coisas espirituais. Há muitos cristãos, mesmo sendo salvos, que permanecem na incredulidade quanto às promessas de Deus, e caminham por este mundo sem conseguir avançar e participar das delícias da fé, sem se alimentarem de Cristo que é a Rocha Eterna que satisfaz, e farta as nossas vidas com vigor espiritual.

Que assim seja

Orlando Arraz Maz©

 

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *