JESUS, O AMIGO INSEPARÁVEL

 

Este é um Salmo encantador. Os dez primeiros versículos apresentam um poema de louvor e de ações de graças pela fidelidade do Senhor que ouve o clamor dos aflitos. “Clamou este aflito e o Senhor o ouviu e o livrou de todas as suas tribulações” (v.6). O restante do salmo nos transmite uma lição de sabedoria, ensinando-nos que quem deseja ser feliz deve temer ao Senhor.

É Davi o seu autor. Nada sabemos sobre sua idade ao escrevê-lo, mas sabemos de sua triste recordação do acontecimento relatado no livro de  primeira  Samuel 21:10 a 22:11, quando perseguido pelo rei Saul foi buscar ajuda de Abimeleque, o sacerdote,  e refúgio na casa do Senhor, onde  encontrou  libertação de todos os seus temores.

Quantas vezes as circunstâncias nos cercam e nos afligem, levando-nos à atitudes covardes e vergonhosas.

E Davi tem uma fórmula ideal para mim e para você: Buscar ao Senhor.

Lamentavelmente o Senhor é sempre o último que procuramos. Armamos nossos planos, elaboramos nossos cálculos, colocamos nossa vontade à frente… e levamos tudo pronto numa bandeja ao Senhor. Davi aprendeu que o Senhor deve ser consultado e informado  com antecedência.

Outra experiência que Davi compartilha é o fato de ser acolhido pelo Senhor: “Ele me acolheu”. Apresenta a figura de uma mãe carinhosa que acolhe o filho nos braços e ouve seus problemas. É nos braços do Senhor que ele quer nos ensinar.

Por fim, declara: “Livrou-me de todos os meus temores”.  Como consequência, houve uma libertação emocional.

Quantas decepções e lágrimas poderiam ser poupadas  e quantos amigos deixariam de sofrer as nossas dores!

Temos algum plano em mente? Uma aflição nos perturba? Uma amizade desfeita? Uma dor física? Busquemos ao Senhor como Davi. Ele sempre está presente querendo manifestar-se a todos nós. “Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado e salva os de espírito oprimido” (v.18).

Muitas vezes as nuvens escuras encobrem o sol no firmamento, mas lá está ele sempre presente, mesmo na forte tempestade.

O Senhor quer nos acolher como fez com Davi, para depois ouvir de seus lábios:

“Provai e vede que o Senhor é bom”.

Que assim seja.

Orlando Arraz Maz©

 

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *