MEDITAÇÕES NO LIVRO DE RUTE – OBEDIÊNCIA – 8 –

Meditações no Livro de Rute
Obediência – A marca do verdadeiro filho (8)
O caminho da obediência leva aos mananciais da bênção. Deus sempre se agradou da obediência de seus filhos, e na sua Palavra temos inúmeros exemplos de pessoas que obedeceram sem reservas: Abraão, Moisés  e tantos ou­tros , e, como resultado, alcançaram bênçãos incontáveis.(Gen. 22:18:26:15, Josué 1:17)
Sem dúvida, o mesmo ocorreu com Rute. Após contar à sua sogra as experiências daquele dia, pacientemente esta lhe pediu para que agisse com toda cautela, procurando as companhias  femininas, e  ser  recatada. Instruções práticas de Noemi, sogra e mãe,  com vistas a ajudar Rute  encontrar o remidor certo e competente.
Temos nesta atitude de Noemi instruções preciosas para nossos jovens. Ao entrarem na adolescência, quantas moças sofregamente perseguem o rapaz que conhece­ram e fazem de tudo para iniciar o namoro, e o mesmo acontece com os moços. Esquecem  que “no Senhor” tudo deve ser diferente, pois há normas  em Sua Palavra que levam a uma descoberta clara de sua vontade. Os passos da obediência devem ser dados para que as bên­çãos venham sob a vontade do Senhor.
Rute agiu assim. Após ouvir as sabias instruções de Noemi, preparou-se para encontrar Boaz, e mais uma vez segue seus conselhos: “Lava-te, pois, unge-te, e veste os teus vestidos, e desce à eira…” (v.3) Tais conselhos revelam uma disposição firme e precisa de alcançar o favor de Senhor. E quanta lição resta para cada um de nós.
 
Quando obedecemos ao Senhor um processo de regeneração já se operou em nossas vidas, pois impossível é obedecer alguém que jamais conhecemos.
Rute, iniciando pela obediência, agora deve lavar-se. Talvez trouxesse em seu corpo marcas do luto e da tristeza e este era o momento para alegrar-se, banhando-se primeiramente. 
 
Lembremo-nos que as facetas de nossa vida espiritual se comparam com a vida de Rute: trazíamos em nós “vidas mortas” e éramos tristes pelos efeitos do pecado, mas Cristo, o nosso Remidor nos lavou com o seu precioso sangue (I Pedro. 1-19), ato contínuo nos santificou, ungindo-nos com o Espírito Santo. E como Ru­te vestiu seus melhores vestidos, Ele também nos ves­te com as vestes de uma salvação eterna (Isaias 61:10:Ap. 19:8). Portanto, purificados, santificados e aceitos!
Depois de todos os preparativos, Rute devia descer à eira, o lugar onde se secava o trigo, um lugar humilde, e encontrar-se com Boaz. Quando estamos dispostos a obedecer, purificados, santificados e aceitos em Cristo, precisamos “descer”. Estamos acomodados no alto de nossos conceitos, de nosso eu, de nossas razões, fatores que nos distanciam das bênçãos desejadas. O Senhor se alegra quando descemos e, no lugar humilde, virá nos elevar com suas bênçãos. Maria,mãe de Jesus, assim se expressa em seu cântico. O Senhor Deus viu a sua humildade e “derrubou dos seus tronos os poderosos e. exaltou os humildes”. (Lucas 1:48,52) Mais tarde, é Jesus quem ensina(Lucas 14:11). Portanto, sua apreciação é bem intensa, quando ele vê corações humildes . E a lição do lava-pés deixou marcas profundas nos discípulos(João 13:12 a 20). Tão humilde  que para nos salvar, também desceu dos céus, do trono ao lado do Pai, às camadas mais baixas da terra onde imperava o pecado, a fim de nos buscar.  E tudo fez para nos remir  o nosso Bendito Remidor.
Rute, bem disposta, obedeceu, lavou-se, ungiu-se, vestiu-se e desceu para buscar um lugar aos pés de Boaz que dormia entre os feixes de trigo. E lá, trilhando o ca­minho da obediência, aos seus pés alcançaria a bênção que tanto desejava.
Algo semelhante poderá ocorrer com todas as pessoas dispostas a obedecer Jesus Cristo, o perfeito Remidor.
 
Que assim seja.
 
Orlando Arraz Maz
Esta entrada foi publicada em ARTIGOS, O LIVRO DE RUTE. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *