O MELHOR CONVITE

 “Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso.
Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas.
Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”.
(Mateus 11:28-30)

 Não há convite mais terno como este feito pelo Senhor Jesus. Já se passaram mais de dois mil anos e ele ainda fala perfeitamente a muitos corações.

Hoje nos deparamos com muitos convites que chegam pelas redes sociais, pela televisão e todos os meios de comunicação, voltados para o divertimento e entretenimento, como “shows” de artistas famosos, cantores e tantos outros. E tais convites são prontamente atendidos, sendo precedidos de longas e intermináveis filas para compra de ingressos.

Mas o convite de Jesus através dos anos, sendo o melhor convite para o ser humano, tem sido relegado e muitas vezes desprezado. Enquanto o divertimento produzido por aqueles convites são passageiros e efêmeros, e trazem “alegria” que se esvai como fumaça, o convite de Jesus renova o coração e traz alívio e paz eternamente. Ele mesmo o declara: Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbem os seus corações, nem tenham medo. (João 14:27)

Por que “vinde a mim”? Porque ele é o único que pode acolher a todos debaixo dos seus braços e dar-lhes um amor inigualável. Ele não aponta outra pessoa, um líder religioso famoso, uma igreja, um pastor ou sacerdote, mas toma para si este serviço, pois somente Ele muda o coração.

Ele faz este convite porque conhece a fragilidade de todos, e sabe que carregam fardos insuportáveis, sendo o pior deles o pecado que se instalou nos corações e os afastou de Deus. Somente Jesus pode dar alívio aos sobrecarregados e oprimidos.

Ah! se tal convite fosse aceito, não teríamos desilusões em massa, especialmente as que vêm após grandes “shows” ou festas regadas a drogas ou bebidas, causadoras de estupros, mortes e tentas tragédias. As estatísticas seriam outras certamente.

O convite de Jesus não perdeu sua força e poder. É estendido a todos que não podem andar sob o peso dos seus pecados e se arrastam pelos caminhos, sem direção.

Os braços de Jesus que foram pregados em uma cruz são os mesmos ainda hoje, prontos a abraçar todos os oprimidos e sobrecarregados.

Corra para eles.

Que assim seja.

Orlando Arraz Maz©

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *