PÁSCOA VERDADEIRA

Mais tarde, sabendo então que tudo estava concluído,
para que a Escritura se cumprisse, Jesus disse: “Tenho sede”.
Estava ali uma vasilha cheia de vinagre.

Então embeberam uma esponja nela, colocaram a esponja
na ponta de um caniço de hissopo e a ergueram até os lábios de Jesus.
Tendo-o provado, Jesus disse: “Está consumado! ”

Com isso, curvou a cabeça e entregou o espírito. (Ev. João 18:28-30)

Nestes dias o mundo dá uma parada para comemorar a Páscoa. Entretanto, bem poucos consideram a morte de Jesus em seus aspectos, como salvador dos pecados da  humanidade. Deixam de avaliar a importância de sua morte e os resultados benéficos em favor daqueles que creem. O almoço do domingo, a troca de ovos entre familiares e amigos, lamentavelmente ocupa o coração de pais e filhos, desconhecedores das belezas desta data.

A Páscoa deve falar ao nosso coração, pois no plano eterno Deus já dava por realizada a morte de seu único Filho, informando como seria com todos os detalhes descritos nas sagradas Escrituras.

Deus espontaneamente ofereceu seu Filho em sacrifício, por morte de cruz, onde seu sangue foi vertido para purificar-nos de todo o pecado.

Jesus deu a sua vida, pois os homens não tinham poder de toma-la. Ele mesmo afirma esta grandiosa verdade: “Por isso é que meu Pai me ama, porque eu dou a minha vida para retomá-la. Ninguém a tira de mim, mas eu a dou por minha espontânea vontade. Tenho autoridade para dá-la e para retomá-la. Esta ordem recebi de meu Pai” (Ev de João 10:17,18) Seus últimos momentos na cruz confirmam esta sua afirmação, pois antes de morrer disse: “Está consumado!” ”Curvou sua cabeça e entregou o espírito.” Nenhum mortal poderia decidir sobre sua morte, mas Cristo, sim, decidiu quando deveria morrer.

Na Páscoa celebramos a morte voluntária de Jesus e sua ressurreição ao terceiro dia. Devemos crer que sua vitória sobre a morte garante a ressurreição de todos os que creem nele. Em meio a tantos homens que tentaram modificar o mundo com suas ideias religiosas, jamais existiu um que venceu a morte e que pode dizer: “Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente. Você (Marta) crê nisso? (Ev. Joaõ 11:25,26)

Que esta Páscoa seja diferente de todas as comemoradas no passado.

“…porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado” (I Cor.5:7)

Que assim seja

Orlando Arraz Maz©

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *