SUAS PROMESSAS ESTÃO SENDO CUMPRIDAS? OU NÃO?

 Quando iam pelo caminho, disse-lhe um homem:
Seguir-te-ei para onde quer que fores’.(Lucas 9: 57) 

O novo ano ainda repercute dentro de nós. Lembramos dos cumprimentos dos amigos e familiares, do almoço farto, das conversas desperdiçadas, e também dos presentes ganhos no Natal. São agradáveis tais recordações.

E das promessas feitas na passagem do ano?  Elas estão sendo cumpridas ou já foram esquecidas? Promessas de mudanças de atitudes na família, reconciliação acompanhada de perdão, refazer a amizade perdida, esclarecer algum mal entendido, enfim, tanta coisa prometida. Sem dúvida, se foram cumpridas o novo ano se descortina na maior felicidade.

Mas há ainda promessas no campo religioso. Iniciar o novo ano lendo regularmente a Bíblia, assistir aos cultos da igreja, amar com mais intensidade seus irmãos na fé e estreitar os laços fraternos, enfim, ser mais cuidadoso nos assuntos espirituais. E essas promessas, estão sendo observadas?

No texto que se destaca nesta meditação há uma promessa que chama nossa atenção. Por sinal muito semelhante às que muitos fazem em nossos dias.  Um homem ficou maravilhado com o ensino de Cristo e de seus milagres relatados neste capítulo do evangelista Lucas. A multiplicação dos pães e peixes, a bendita confissão do apóstolo Pedro, depois da transfiguração de Jesus, a cura do jovem lunático, em seguida o exemplo de humildade abençoando uma criança, e por fim o amor pelo povo samaritano. Todas essas manifestações impactaram aquele homem, e no calor do seu coração, disse a Jesus: “Seguir-te-ei para onde quer que fores”. E Jesus percebendo que não passava de mera emoção, respondeu-lhe: “As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos; mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça”. Nada sabemos sobre a atitude deste homem depois de ouvir Jesus. Seu entusiasmo estava longe de ser uma conversão genuína, pois seguir a Jesus é decisão da alma que não mede as circunstâncias.

Talvez suas promessas tenham sido feitas no calor das emoções, daí a razão de não serem cumpridas. Entretanto, ainda há tempo para correr após elas.

Já as promessas de caráter espirituais devem ser levadas a sério, mesmo. Devem partir do fundo do coração, proveniente de uma convicção extraída da Palavra de Deus. Não devem ser feitas movidas pela emoção, pois estas são como águas agitadas que depois voltam à normalidade. Renove suas promessas ainda hoje, e peça ao Senhor Jesus que te ajude a cumpri-las, pois, sem dúvida,  seu desejo é andar pelos seus caminhos e fazer a sua vontade.

Só assim este ano será excepcional para você, concedendo-lhe uma nova experiência da graça de Deus sobre sua vida. Não desanime, pois se nossas promessas são fracas e falhas, as de Jesus são incomparavelmente fiéis e verdadeiras. Jesus cumpre o que nos promete. Esta certeza nos dá o apóstolo Paulo: “Pois, tantas quantas forem as promessas de Deus, todas têm em Cristo o “sim”. Por isso, por intermédio dele, o “Amém” é proclamado por nós para a glória de Deus. (II Cor.1:21)

Que assim seja.

Orlando Arraz Maz©

 

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *