VIVENDO SEM DISFARCES

“E disse o rei de Israel a Jeosafá:  

Eu me disfarçarei, e entrarei na peleja;

tu, porém, veste os teus trajes reais.

Disfarçou-se, pois, o rei de Israel,

e entrou na peleja”. (I Reis 22:30)

 

O disfarce, máscara ou fantasia são artifícios bem usados em época de Carnaval com a finalidade de esconder a verdadeira identidade. Outros usam o disfarce para cometer crimes, como alguém um dia resolveu fantasiar-se de Papai Noel.

O disfarce não se restringe somente à vestimentas, mas é usado para esconder a verdadeira aparência, sob fingimento. É o individuo que tem dupla personalidade. Quando a máscara cai, há espanto e surpresa por parte de todos.

O texto desta meditação aponta para a história de um dos piores reis de Israel chamado Acabe, mau aos olhos do Senhor, mais do que todos os que o antecederam  (I Reis 16:30). Avisado pelo profeta da contrariedade de Deus que ele participasse da guerra contra a Síria, resolveu desobedecê-lo   usando de disfarce. A tentativa do rei foi de enganar a Deus e aos homens, entretanto, Deus não se deixa zombar: “Não vos enganeis; Deus não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará”. (Gál.6:7).

Hoje há muitas tentativas de enganar a Deus e aos homens usando disfarces. Em muitos lugares as máscaras são usadas sem qualquer pudor, quer dentro das casas, entre os familiares, nos ambientes de trabalho, e pior, dentro das igrejas. Bem disse Abraham Lincoln, nesta frase atribuída a ele:Pode-se enganar a todos por algum tempo; pode se enganar alguns por todo o tempo; mas não se pode enganar a todos todo o tempo”. E muito menos a Deus que tudo vê.

A participação na batalha por parte de Acabe foi um fracasso, pois encontrou a morte. Diz o texto sagrado: “Então um homem entesou o seu arco, e atirando a esmo, feriu o rei de Israel por entre a couraça e a armadura abdominal. Pelo que ele disse ao seu carreteiro: Dá volta, e tira-me do exército, porque estou gravemente ferido”.(I Reis 22:34). Logo em seguida morreu em Samaria onde foi sepultado.

Nos tempos de Jesus os disfarces pertenciam aos escribas e fariseus, que foram citados com duras palavras: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas por dentro estão cheios de ossos e de toda imundícia”..(Mat.22:27)

A desobediência e o uso de disfarces sempre causam transtornos a todos que se opõe a Deus, em recusa a obedecer de coração os preceitos de sua santa Palavra. Quando a luz do evangelho raiar no coração do ser humano e mostrar-lhe o caráter de Cristo, as máscaras e disfarces deixarão de existir. Assim, poderá enfrentar qualquer batalha e sair dela vencedor.

Que assim seja

Orlando Arraz Maz©


 

 

 

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *