ZAQUEU – O HOMEM PEQUENO

 

zaqueu-o-publicano

ZAQUEU – O HOMEM PEQUENO
Histórias Bíblicas da minha infância

A história do publicano Zaqueu, o homem bem pequeno, sempre causou curiosidade na mente das crianças. Quando a professora se apresentava com as figuras de Zaqueu em sua mão, mal respiravam para ouvir sua história.

A baixa estatura de Zaqueu não foi impedimento para ver Jesus, e essa era a lição que a professora desejava transmitir aos seus pequenos alunos. Zaqueu não mediu esforços e arquitetou seu plano com uma precisão sem igual: subir em uma árvore e conhecer a Jesus.

No primeiro quadro mostrado no flanelógrafo, via-se um homem sentado confortavelmente no tronco de uma árvore, embora pequeno, um adulto com uma barba espessa e branca. Em seguida vinha outro quadro com Jesus à frente de uma multidão, por certo ensinando como era seu costume.

 

zaqueu 3

O terceiro quadro que a professora segurava em uma das mãos, via-se Jesus olhando para cima, bem na direção de Zaqueu. E em seguida fixava outro, com os seguintes dizeres:

“Zaqueu, desce depressa; porque importa que eu fique hoje em tua casa”.

 A professora neste ponto da lição pedia aos alunos que repetissem com ela os dizeres do quadro, e em seguida apresentava outro quadro com a reação de Zaqueu:

 “Desceu, pois, a toda a pressa, e o recebeu com alegria”. E todas as crianças recitavam o texto.

 As crianças se alegravam com a alegria de Zaqueu, descendo pressuroso da árvore para encontrar-se com Jesus. E a professora enfatizava aos seus alunos que este fora o melhor dia na vida de Zaqueu.

 A lição de Zaqueu ainda permanece nas mentes e corações das crianças de ontem que são os adultos de hoje.

 Há muitos que desejam ver a Jesus, mas suas deficiências (não físicas, mas espirituais) os impedem, causando-lhes vergonha. Têm medo dos observadores, e muito mais de serem criticados pelo desejo de saberem mais de Cristo, atentarem para seus ensinos, e correrem para receber seu abraço amoroso e o perdão dos seus pecados. E assim se escondem entre as “folhagens das árvores” e não descem para o encontro restaurador de Jesus. E perdem o melhor de suas vidas.

 Zaqueu rompeu uma dificuldade: seu tamanho pequeno. Colocou em prática seu projeto: subir em uma árvore. Com tais decisões seu plano alcançou sucesso, e assim foi abençoado por Jesus, que se prontificou visitar sua casa.

 Quando vencermos tais barreiras e ouvirmos com prazer   a voz de Cristo, “desce depressa porque importa que eu fique hoje em tua casa”, ou, ainda, “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo”, nossas vidas como a de Zaqueu serão abençoadas. E este será o melhor encontro.

Que assim seja.

Orlando Arraz Maz 

Esta entrada foi publicada em HISTÓRIAS BÍBLICAS DA MINHA INFÂNCIA. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *