A MORTE DE JESUS

 

Morreu pelos nossos pecados

Uma das joias do cancioneiro cristão é este belo hino, que retrata os resultados da morte de Jesus na cruz do calvário.

Reconhecimento

Do pecado resgatado

Fui na cruz por Teu amor,

E da morte, triste sorte,

Me livraste Tu, Senhor.

Coro:

Ó Jesus, meu Bem-Amado,

Meu Amigo e Bom Pastor,

Por Teu sangue fui comprado

E pertenço a Ti, Senhor!

Se hesitante, vacilante,

Ouço a voz do tentador,

Tu me guias, me auxilias,

E me tornas vencedor.

Redimida, só tem vida

A minha alma em Teu amor!

Com apreço, reconheço

Quanto devo a Ti, Senhor.(HC 307)

O autor da letra deste belo hino  foi  um Major do Exército de Portugal, convertido a Cristo pelo testemunho de um soldado de seu batalhão.

É interessante conhecer o poder transformador de Jesus:

Guilherme Luiz dos Santos Ferreira (1850-1934)

Pouco se conhecia sobre o Major Guilherme Luiz dos Santos Ferreira, militar e escritor português, responsável por uma contribuição muito significativa à nossa hinologia. Os dados que obtivemos foram publicados por Bill H. Ichter. E nos revelam um escritor que mereceu registro na “Grande Enciclopédia Luso-Brasileira” v. 27, p. 393. Nasceu em Mafra, cidade histórica onde D. João VI ia sempre para ouvir o melhor cantochão, em 1850. Já era sargento quando um soldado sob seu comando pediu licença para não assistir a missa, por ser crente. Devido a esse testemunho, veio a se converter e tornar-se um valoroso crente no período da monarquia. Passou a assistir cultos na Igreja Presbiteriana que se reunia no Convento dos Marianos. Faleceu em Lisboa em 1934

(Dados extraídos do blog “Semeando Vida”)

Diversos de seus hinos figuram no “Salmos e Hinos”, no “Cantor Cristão” . Este hino está no hinário Hinos e Cânticos, e tem o nº 307.

Orlando Arraz Maz

Esta entrada foi publicada em BIOGRAFIAS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a A MORTE DE JESUS

  1. José Carrasco. disse:

    Não sabia dessa história. Bem interessante. Obrigado por compartilhar.
    José Carrasco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *