CRISTO, A NUVEM QUE NOS COBRE

Então Ele estendeu uma nuvem para lhes dar sombra
como um toldo, e um clarão de fogo para iluminar a noite.
Pediram, e Ele mandou codornizes,
e os saciou com pão do céu.  (Salmo 105:39,40

A longa caminhada do povo de Israel pelo deserto é repleta de instruções, e serve para nos animar em dias difíceis. Por longos quarenta anos provaram as misericórdias de Deus, apesar de tantas queixas, revoltas e desânimos. Rapidamente se esqueciam das vitórias, dos milagres realizados pelas mãos de Moisés, e quando sentiam a pesada mão de Deus, se arrependiam e suplicavam sua intercessão  a Deus.

Davi, por certo o autor deste salmo, compôs os primeiros quinze versículos para serem cantados pelo povo, quando transportava a arca do Senhor. Assim lemos: “Foi naquele dia que pela primeira vez Davi encarregou Asafe e seus parentes, de louvar ao Senhor com salmos de gratidão: Deem graças ao Senhor, clamem pelo seu nome, divulguem entre as nações o que ele tem feito”(I Cron.16:7-9)

Apesar de recebermos bênçãos a cada dia, esquecemo-nos delas rapidamente. Como somos semelhantes aos israelitas, pois em nossa marcha por este mundo, somos atacados pelo desânimo e uma multidão de queixas. Basta o “sol” mais forte das provações, nos tornamos pessoas ingratas, insatisfeitas, apesar de desfrutarmos os cuidados de Deus.

No texto desta meditação descobrimos a ternura de Deus para com eles: “Ele estendeu uma nuvem como um toldo para lhes dar sombra”. Esta era a providência de Deus: guiar seu povo durante o dia. Uma nuvem escura para impedir o calor do sol. Quantas vezes a nuvem está sobre nós e nem sentimos. É Deus aliviando o calor das provações e nos levando pelo melhor caminho.

Chegando a noite, quando nos sentimos sós, e o medo bate à nossa porta, Deus manda uma nuvem brilhante para clarear o nosso caminho. É sua luz brilhando na noite escura. É sua luz mostrando sua Palavra onde encontramos alento e consolo para nossas vidas. Assim ele fez com o povo de Israel na marcha pelo deserto.

Precisamos abrir bem os nossos olhos, pois Deus é um Deus que não só nos protege sob o sol, ou em meio a escuridão, mas sacia nossa fome. O povo pediu carne e ele enviou codornizes suficientes para alimentar a todos. E saciou-os com pão do céu. Deus sempre dá mais do que pedimos ou pensamos. O apóstolo Paulo esclarece bem esta bondade de Deus: “Aquele que é poderoso de realizar infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou imaginamos, de acordo com o seu poder que age em nós”(Efes.3:20)

Deus é um Deus que dá. Ele foi infinitamente bondoso em dar seu único filho que veio a este mundo para nos salvar. E o apóstolo João é usado para mostrar o coração de Deus, ao escrever: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16).

Por último, lancemos aos pés de Jesus todo o nosso medo, pois na noite tenebrosa ele é a nuvem que nos cobre como um toldo, e nos ilumina, e é o pão que desceu do céu e sacia nossa alma.

Que assim seja

Orlando Arraz Maz©

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *