NATAL VERDADEIRO

 
Natal_1
 
 
Mas o anjo lhes disse: “Não tenham medo.
Estou lhes trazendo boas novas de grande alegria,
 que são para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi,
lhes nasceu o Salvador que é Cristo, o Senhor.
Isto lhes servirá de sinal: encontrarão o bebê envolto
em panos e deitado numa manjedoura”. (Lucas 2:10-12)

 

Um dos maiores e espetaculares acontecimentos já registrados na história da humanidade foi o nascimento do Senhor Jesus.

O evangelista Lucas, inspirado pelo Espírito Santo, como um artista usou as mais variadas tintas para descrever a cena do nascimento de Jesus. Desejou profundamente que seu “excelentíssimo” amigo Teófilo fosse inteirado das coisas que lhe foram ensinadas, e para tanto, empreendeu a mais profunda investigação.

Lucas destaca a participação angelical com as notícias do nascimento de Jesus. Os anjos são seres celestiais criados por Deus e servem como ministros para as mais diversas situações. Muitas vezes foram usados por Deus para executar suas ordens, e de maneira particular estiveram presentes durante a vida do Senhor Jesus neste mundo. Nesta oportunidade não vieram para executar os juízos de Deus, mas para dar conhecimento de sua graça salvadora aos homens a quem ele quer bem.

Naquela noite majestosa os anjos deram um duplo sinal aos pastores:  “encontrarão o bebê envolto em panos e deitado numa manjedoura”. Parece-nos à primeira vista que é um sinal óbvio, pois todas as crianças recém-nascidas são envolvidas em panos ou fraldas. Mas não. O que os pastores encontraram foi um bebê diferente de todos os demais: era o Menino Deus envolvido em panos, o Senhor, e este era um sinal maravilhoso. Outra pista extraordinária dada pelos anjos: “deitado numa manjedoura”, um estábulo onde os animais comiam. Um lugar incomum para bebês, e muito mais para “o Salvador que é Cristo, o Senhor”.

A encarnação do Filho foi o maior milagre de Deus em favor de toda a  raça humana. Os portais da eternidade se abriram, e de lá desceu o “Salvador, que é Cristo o Senhor”. Ele deixou sua morada na eternidade, cuja descrição foi maravilhosamente detalhada nas palavras do Apóstolo Paulo:

“Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens. E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz! Por isso Deus o exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, no céu, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai”.(Filip.2:5-11)

Que este Natal possa tocar nosso coração, produzir uma alegria verdadeira, não efêmera, e nos levar a uma adoração ao Senhor Jesus, que deseja nascer em cada coração, não mais como nasceu em Belém, mas como Rei e Salvador de nossas vidas.

Só assim teremos um Feliz Natal.

Que assim seja

Orlando Arraz Maz©

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *