POR QUE JESUS CHOROU?

E quando chegou perto e viu a cidade,
chorou sobre ela, dizendo:
Ah! se tu conhecesses, ao menos neste dia,
o que te poderia trazer a paz! mas agora isso
está encoberto aos teus olhos.
Porque dias virão sobre ti em que os teus inimigos
te cercarão de trincheiras, e te sitiarão,
e te apertarão de todos os lados,
(Lucas 19:41-43)

Muito se fala que Jesus nunca sorriu, dando a entender que se tratava de pessoa triste. Quando nos lembramos da ocasião em que abençoou as criancinhas, tomando-as em seus braços, cremos que sorriu, pois seria impossível tal gesto com semblante carregado. Impossível não retribuir o sorriso recebido de uma criança. Portanto,  Jesus jamais foi uma pessoa triste, pois como Deus entre os homens, não conheceu o pecado, fonte de tristeza e dor.

Entretanto, se não está escrito que Jesus sorriu, duas vezes lemos que chorou. A primeira, quando chegou a Jerusalém e profetizou sua destruição, como resultado de sua rejeição. Contemplando a cidade de Jerusalém, conhecida como a cidade da paz, chorou diante dela porque rejeitou o Príncipe da Paz. Lá sua presença não foi bem vinda, onde sofreu a morte de cruz. E sentindo tamanha rejeição profetizou sua destruição, o que aconteceu cerca de quarenta anos depois.

A segunda, diante da sepultura de Lazaro, onde contemplou o resultado da tragédia provocada pelo pecado. E para demonstrar seu poder sobre a morte, ressuscitou seu amigo Lázaro.

Hoje, Jesus se alegra por pessoas que nele confiam e que o abraçam como seu único Senhor e Salvador de suas vidas. Entretanto, se entristece pelos que viram suas costas, e não entregam suas vidas para serem transformadas, para  desfrutarem da “ressurreição” para   vida eterna.

Que possamos viver vidas transformadas e que alegrem o coração de Jesus, para que Ele não venha a entristecer-se pela condenação daqueles que o rejeitam.

Que assim seja.

Orlando Arraz Maz©

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *