UM PEQUENO VÍRUS E TANTO ESTRAGO

Então o Senhor Deus fez crescer uma planta sobre Jonas,
para dar sombra à sua cabeça e livrá-lo do calor, e Jonas ficou muito alegre.

Mas na madrugada do dia seguinte,
Deus mandou uma lagarta atacar a planta de modo que ela secou. (Jonas 4:6,7)

Quem não conhece a história do profeta Jonas? Todos a conhecem pelo grande peixe queo engoliu e o levou às profundezas do mar, e depois o vomitou na praia.

Entretanto, poucos conhecem o milagre da aboboreira.

Deus na sua imensa misericórdia fez nascer uma aboboreira, com a finalidade de protegê-lo do sol inclemente, e trazer descanso ao seu profeta desobediente, e o relato nos informa: ”de modo que Jonas se alegrou em extremo por causa da aboboreira”. Mas Deus querendo prová-lo pela indiferença quanto ao estado espiritual do povo de Nínive, enviou uma “lagarta para atacar a planta de modo que ela se secou”. E lá se foi a sombra que protegia Jonas.

Uma simples lagarta consumiu uma planta frondosa. Parece incrível, mas aconteceu. E tal foi a sua investida que a mesma se secou por completo.

Assim está acontecendo em quase todo o mundo com o surgimento do CoronavÍrus – Covid 19, um vírus, seres muito simples e pequenos   (medem menos de 0,2 µm)”.  Como a planta de Jonas, a economia mundial esta “secando” e modificando drasticamente os costumes das pessoas. O medo tomou conta de todos, e o caos parece estar presente em toda parte.

Em face deste acontecimento inusitado na história do mundo, necessário se faz uma avaliação. Não chegou aqui por acaso, muito menos por causas desconhecidas, mas Deus, sem dúvida, deseja alertar a todos nós. Assim como enviou uma simples lagarta e abriu os olhos de Jonas, está enviando o Covid-19 para fazer o mesmo. O mundo chegou a um grau de indiferença com as coisas de Deus, uma rebelião total mergulhada numa sociedade corrompida. No passado Deus alertava o povo com seus “ais” pelo profeta Isaias: “Ai dos que chamam ao mal bem e ao bem, mal, que fazem das trevas luz e da luz, trevas, do amargo doce e do doce, amargo” (Isaias 5:20). O mesmo acontece em nossos dias, mesmo com templos lotados, mas sem um compromisso com a mensagem de Cristo. Buscam prosperidade, conforto, satisfeitos com vidas imorais, e, tranquilos, seguem o seu caminho.

É tempo de todos os que se mantém fieis a Deus, e que procuram obedecer seus ensinos, orar em favor dos que ainda se mantém distantes de Jesus, que é o caminho, a verdade e a vida. Que busquem nele e não nas religiões que crescem em redor do mundo, a verdadeira vida.

Que as lições do Covid 19 sejam de grande valia, e que os olhos de muitos sejam abertos. E que Deus nos contemple com sua misericórdia, a mesma que usou com o povo de Nínive, e que está à disposição dos que verdadeiramente confessem a Jesus como Salvador.

Que assim seja.

Orlando Arraz Maz©

 

 

 

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *