VOCÊ CRÊ NA VOLTA DE CRISTO?

Eis que venho sem demora, e comigo está a recompensa
que tenho para dar a cada um segundo as suas obras.
Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último,
o Princípio e o Fim. (Apocalipse 22:12,13)

Nos últimos dias neste mundo Jesus deixou uma mensagem aos seus discípulos: “E quando eu for e preparar um lugar, voltarei e os receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, vocês estejam também” (João 14:3) Sem dúvida, palavras de conforto em face de seus próximos sofrimentos, dirigidas aos discípulos que conviveram com ele aproximadamente três anos.

Assim se dá com despedidas de pessoas que muito amamos, as quais nos animam com as palavras: “eu volto logo, nada de choro.” Muitas vezes há frustração, pois nunca mais as vemos. Entretanto, com Jesus não havia como duvidar de suas palavras “voltarei e os recebereis para mim mesmo”. Sem dúvida, encheu de esperança o coração de cada um deles.

No texto que encima nossa meditação, o apóstolo João tem o privilégio de receber a mesma mensagem deixada há aproximadamente sessenta anos, quando ainda era um jovem no vigor de sua vida. Agora, na ilha de Patmos, novamente ouve a voz de Cristo não mais como nos dias de sua angústia, mas glorificado junto ao Pai. E sua voz vem como um bálsamo para o seu coração aliviando seu sofrimento e abandono naquele triste lugar: “Eis que venho sem demora”. Uma promessa consoladora que por certo acalmou o coração do apóstolo, e o encheu de gozo, pois guardara suas palavras durante todos os seus anos. Seu Senhor e Salvador logo viria com   a recompensa que daria a cada um segundo as suas obras (Apoc.22:7,12,13).

A promessa da vinda de Cristo é uma realidade ainda em nossos dias, e o apóstolo Pedro assim escreve: “Nós, porém, segundo a promessa de Deus, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita a justiça” (II Pedro 3:13).

Não devemos nos desanimar pela demora de sua vinda, nem tampouco desacreditar, pois segundo escreve o apóstolo Pedro: “O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a julguem demorada. Pelo contrário, ele é paciente com vocês, não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento. (II Pedro 3:9)

A promessa de sua vinda deve nos animar nestes tempos de tanto sofrimento, onde lágrimas vem aos nossos olhos, e tentam nos sufocar. Sua demora tem um motivo maravilhoso onde é revelado o seu amor: “não quer que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento”.

Que nosso olhar esteja voltado para a eminente volta de Cristo, pois nas suas mãos estarão as recompensas para todos os que guardaram suas palavras e creram nelas de coração, como o próprio Senhor Jesus falou: “Em verdade, em verdade lhes digo: quem ouve a     minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida” (João 5:24).

Jesus pode voltar, talvez, antes que alguém termine de ler esta meditação!

Que assim seja.

Orlando Arraz Maz©

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *