ALEGRIA PERMANENTE

“Louvar-te-ei, Senhor, de todo o meu coração; cantarei todas as tuas maravilhas. Alegrar-me-ei e exultarei em ti; ao teu nome, ó Altíssimo, eu cantarei louvores” (Salmo 9:1 e 2)

Ao meditarmos neste salmo, notadamente nestes primeiros versículos, descobrimos a alegria do salmista. Podemos imaginar o salmista declamando este lindo poema: sua expressão seria serena,seu semblante o mais expressivo, seus olhos profundos voltados para o céu e seus lábios esboçando um sorriso, que sem dúvida cativaria seus ouvintes.Ele possuía motivos em abundância para louvar ao Senhor de todo o seu coração.

Quantas vezes falta-me esta expressão no meu semblante. Basta uma contrariedade, uma aflição, e uma nuvem escura parece descer. E como é fácil demonstrá-la por mais esforço que faça para encobri-la.

Outras vezes tento louvar ao Senhor juntamente com meus irmãos, esforço-me ao máximo, misturo minha voz à deles, mas há algo que me perturba.

E no silêncio de minha casa quantas vezes ocorre o mesmo.Como me sinto pequeno diante da grandiosidade do salmista.

As bênçãos recebidas e as vitórias alcançadas muitas vezes são facilmente esquecidas.

Será que isto ocorre com você? Creio que é inerente ao ser humano. Todavia não deveria ser regra, mas exceção. Precisamos corrigir essa falha com urgência, pois Deus quer que nossa alegria seja permanente, mesmo em situações adversas.

Lembro-me de Paulo, preso, escrevendo aos cristãos de Filipos: “Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação” (Filip.4:11). Notaram?: “em toda e qualquer situação”.

Voltemos aos versículos: Davi neste salmo se considera um vencedor.Deus tinha dado vitória sobre seus inimigos e esta é a razão da sua alegria.

Será que nossa vitória é maior ou menor? Comparada à de Davi nossa vitória é colossal, pois somos “mais que vencedores por meio daquele que nos amou”. Davi venceu homens guerreiros, mas eu e você vencemos as hostes espirituais quando aceitamos o Senhor Jesus como Salvador.

Portanto, não permitamos que o cântico fuja de nossos lábios e que nossa expressão seja de derrotados. Quando a tristeza chegar, e sem dúvida ela virá, voltemos nossos pensamentos para as maravilhas de Deus, contemplemos quem éramos e o que somos, para onde íamos e agora para onde vamos, e louvemos com sinceridade em nosso coração.

O Altíssimo é merecedor dos nossos louvores, pois no meio deles Ele habita.

Que assim seja.

 

Orlando Arraz Maz

 

 

orlando

orlando

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bem vindo!

Deixe seu comentário no final da postagem aqui no blog.

A SENDA DO CRISTÃO

HINOS E CÂNTICOS

O FOLHETO FALANTE

Clique no folheto que abrirá em PDF

Postagens Recentes

BANDEIRA DA ESPERANÇA

Nossa esperança está no Senhor; ele é o nosso auxílio   e a nossa proteção. Nele se alegra o nosso coração, pois confiamos no seu

Leia mais »

TORRE FORTE E INABALÁVEL

Uma homenagem à Casa de Oração de Jardim Botucatu pelos seus 48 anos de atividade. 1973 – 2021  As torres construídas ao longo da história

Leia mais »

BOAS OBRAS NA PANDEMIA

“Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, mas não tiver amor, nada disso me

Leia mais »

UM NOVO VIGOR

  UM NOVO VIGOR Senhor, traga de novo ao coração do crente A comunhão da igreja dos primeiros dias. A conversão sincera, novo andar e

Leia mais »

QUAL O TAMANHO DO SEU SOFRIMENTO?

  Por isso não desanimamos. Embora exteriormente estejamos a desgastar-nos, interiormente estamos sendo renovados dia após dia, pois os nossos sofrimentos leves e momentâneos estão

Leia mais »

O SANGUE QUE ME PURIFICA

“sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos

Leia mais »