CARREIRA POUCO ATRATIVA

Há muitas pessoas procurando cursos de aperfeiçoamentos, mestrados, doutorados, com vistas ao progresso e à ascensão profissional. Nada de errado.
Não se importam em sacrificar o tempo para lazer, o convivio da família e o dia-a-dia com os filhos que crescem rapidamente. Tudo vale para galgar o ponto alto da montanha, a notoriedade, a fama, a fortuna. Uma carreira profissional que se forma qual embrião, e que depois se transforma em um gigante.
Quando vejo tanta perseguição nesta busca, penso em outra carreira – a carreira cristã – que não é desejada com a mesma tenacidade, pois seus valores são intrínsecos, e que cresce (quando cresce), muitas vezes à sombra do anonimato.
Uma carreira que segue à margem da carreira profissional, e que tem seu prejuizo refletido no esforço e cooperação na Obra do Senhor. A carreira profissional corre na velocidade máxima, a cristã vai quase parando deixando respingos na família, na igreja, na comunidade, na alegria, na comunhão, no amor de uns pelos outros.
De fato há paradoxos surpreendentes em ambas: na carreira profissional o alvo é perseguido a todo custo; na cristã, se sobrar tempo. E assim vai aos solavancos.
A carreira profissional é insaciável. Há um projeto a ser concluido, logo vem outro e depois outro e assim, indefinidamente.
Entretanto, só a carreira cristã começa e termina no mesmo lugar: Começa ao pé da cruz onde um dia me ajoelhei confessando meus pecados, prossegue a cada dia me levando ao pé da cruz onde reconheço minha incapacidade e insuficiência, e na eternidade estarei sempre celebrando o amor que nasceu naquela cruz.
O apóstolo Paulo é exemplo para todos os que desejam a carreira cristã, pois ao findar sua vida pode escrever ao seu filho na fé, Timoteo: Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.
A carreira profissional pode trazer honrarias, títulos e dividendos que passam com o correr dos anos. A carreira cristão me outorga “a coroa da justiça que me está reservada,que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amam a sua vinda”. (Segunda carta a Timoteo 4:7,8)
Orlando Arraz Maz


orlando

orlando

Uma resposta

  1. Creio que em geral, notadamente entre nós, a carreira é sacrificial, desgastante o que não acontece com "outros" onde o dinheiro (dizimos) tem lugar especial, preponderante. Abraço

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bem vindo!

Deixe seu comentário no final da postagem aqui no blog.

A SENDA DO CRISTÃO

HINOS E CÂNTICOS

O FOLHETO FALANTE

Clique no folheto que abrirá em PDF

Postagens Recentes

BANDEIRA DA ESPERANÇA

Nossa esperança está no Senhor; ele é o nosso auxílio   e a nossa proteção. Nele se alegra o nosso coração, pois confiamos no seu

Leia mais »

TORRE FORTE E INABALÁVEL

Uma homenagem à Casa de Oração de Jardim Botucatu pelos seus 48 anos de atividade. 1973 – 2021  As torres construídas ao longo da história

Leia mais »

BOAS OBRAS NA PANDEMIA

“Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, mas não tiver amor, nada disso me

Leia mais »

UM NOVO VIGOR

  UM NOVO VIGOR Senhor, traga de novo ao coração do crente A comunhão da igreja dos primeiros dias. A conversão sincera, novo andar e

Leia mais »

QUAL O TAMANHO DO SEU SOFRIMENTO?

  Por isso não desanimamos. Embora exteriormente estejamos a desgastar-nos, interiormente estamos sendo renovados dia após dia, pois os nossos sofrimentos leves e momentâneos estão

Leia mais »

O SANGUE QUE ME PURIFICA

“sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos

Leia mais »