COMO VAI SUA GRATIDÃO A DEUS?

 

Gratidão

Contudo, o rei replicou a  Araúna:

“Não! Eu faço questão de comprar tua eira por preço justo,

 pois não quero oferecer a Yahwek meu Deus

holocaustos que não me custem nada”.

 E Davi pagou pela aquisição do terreiro e dos bois

 cinquenta peças de prata. (II Samuel 24:24- KJ)

 

O pano de fundo deste versículo apresenta o rei Davi mergulhado em um grande problema. Depois de muitas conquistas resolveu avaliar seu poderio militar.

E para isto, promoveu um censo. Entretanto, seu comandante Joabe percebeu que tal iniciativa não agradava ao Senhor Deus, talvez por sentir que o orgulho dominava o coração do rei. Mesmo sendo questionado pelo seu comandante, ordenou que se fizesse o censo, o qual levou mais de nove meses.

 Não sabemos o que motivou Davi a contar seu exército, mas tudo leva a crer que seria para demonstrar às nações vizinhas seu poder bélico. Havia o perigo de confiar na força ao invés de confiar em  Deus,  que de fato não se agradou de tal iniciativa.

Depois de feito o levantamento, Davi cai em si, se arrepende profundamente e perde perdão a Deus.

Mas era tarde. Através do profeta Gade, Deus mandou Davi escolher um entre três castigos: três anos de fome, três anos fugindo dos seus inimigos ou três dias de praga sobre a sua terra e seu povo. Davi preferiu a peste e explicou:

Davi respondeu a Gade: “Eis que é grande a minha angústia! Prefiro cair nas mãos de Yahweh, porquanto enorme é sua misericórdia, a ficar à mercê do castigo dos homens”.

E a peste assolou Israel matando setenta mil pessoas. O resultado de seu malfadado censo foi alterado por Deus com a baixa de tanta gente.               

Quando o Anjo do Senhor estava para destruir Jerusalém, Davi pediu que  Deus poupasse a população da cidade e que seu castigo caísse sobre ele próprio e sua família.

Deus reconsiderou seu pedido e mandou o Anjo parar. E em seguida ordenou a Davi que oferecesse holocausto na propriedade de um homem chamado Araúna.

Davi propõe comprar o lugar, mas Araúna deseja doar, incluindo os bois e a madeira para o holocausto.

Davi recusa a generosa oferta de Araúna e encerra o assunto com a famosa resposta, cujo versículo encabeça esta meditação 

Contudo o rei replicou a Araúna: “Não! Eu faço questão de comprar tua eira por preço justo, pois não quero oferecer a Yahweh meu Deus holocaustos que não me custem nada!”. E Davi pagou pela aquisição do terreiro e dos bois: cinquenta peças de prata.

 Davi  sendo rei poderia expropriar a propriedade de Araúna, e usar os recursos do reino de Israel para adquiri-la, mas optou em pagar com seus próprios recursos. Uma verdadeira fortuna. Comprou a propriedade, levantou um altar a Deus, e a praga cessou de uma vez.

 Este acontecimento tem lições magnificas para todos nós:

 O pecado é semelhante a uma praga que  em  si traz morte e destruição, e é contagiante e só pôde ser aplacada com a morte de Jesus, como oferta de sacrifício na cruz. Quando Jesus exclamou “está consumado” a praga do pecado cessou de uma vez por todas.

 Assim, todos os que creem e são salvos da praga do pecado, devem apresentar a Cristo sacrifícios providos de valor. Não se trata de retribuição pela salvação alcançada, pois Cristo pagou nossa divida, e somos salvos exclusivamente por graça.

 Somos devedores, sim, e Deus espera de todos os seus filhos  uma vida de dedicação sacrificial e não barata.

 Mais tarde, Davi em um dos seus salmos, escreve: “Como poderei retribuir ao Senhor todos os seus benefícios para comigo?” (Salmo 116:12)

 E Paulo escrevendo sua carta aos romanos nos ensina:

 “Portanto, caros irmãos, rogo-vos pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional”. (Rom. 16:12)

 Podemos e devemos apresentar nosso corpo: mãos para praticar boas obras que demonstrem que já somos salvos, pés para levarmos a boa Palavra aos perdidos, olhos para demonstrar compaixão, e boca para falar das grandezas de Cristo.

 Podemos e devemos apresentar uma vida separada da sujeira deste mundo, que muitas vezes venha exigir sacrifícios de nossa parte, e que nos custem caro.

 Podemos e devemos apresentar uma mente transformada, um culto racional, um serviço condizente com a grandeza de nossa salvação, assim como nosso louvor e nossas possessões.

É lamentável que muitos estejam distantes da atitude do rei Davi, são pessoas mal agradecidas, que se esquecem do alto preço que foi pago por Cristo na cruz para livrá-los da maldita praga do pecado.

 São preguiçosos no Reino, nada fazem, são verdadeiros parasitas. Pouco ou nada contribuem, pois são mesquinhos.

 Que a lição de Davi seja aplicada em muitos corações, surgindo vidas consagradas dispostas no altar de Deus, como verdadeiros sacrifícios vivos e que sejam caros, dos  quais Ele muito se agrada.

Que assim seja.

 Orlando Arraz Maz

orlandoarraz

orlandoarraz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bem vindo!

Deixe seu comentário no final da postagem aqui no blog.

A SENDA DO CRISTÃO

HINOS E CÂNTICOS

O FOLHETO FALANTE

Clique no folheto que abrirá em PDF

Postagens Recentes

BANDEIRA DA ESPERANÇA

Nossa esperança está no Senhor; ele é o nosso auxílio   e a nossa proteção. Nele se alegra o nosso coração, pois confiamos no seu

Leia mais »

TORRE FORTE E INABALÁVEL

Uma homenagem à Casa de Oração de Jardim Botucatu pelos seus 48 anos de atividade. 1973 – 2021  As torres construídas ao longo da história

Leia mais »

BOAS OBRAS NA PANDEMIA

“Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, mas não tiver amor, nada disso me

Leia mais »

UM NOVO VIGOR

  UM NOVO VIGOR Senhor, traga de novo ao coração do crente A comunhão da igreja dos primeiros dias. A conversão sincera, novo andar e

Leia mais »

QUAL O TAMANHO DO SEU SOFRIMENTO?

  Por isso não desanimamos. Embora exteriormente estejamos a desgastar-nos, interiormente estamos sendo renovados dia após dia, pois os nossos sofrimentos leves e momentâneos estão

Leia mais »

O SANGUE QUE ME PURIFICA

“sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos

Leia mais »