ESPERTALHÕES DA FÉ

 
 
 
Novo Timot 3
 
 
Sabe, porém, isto: que nos últimos dias
sobrevirão tempos trabalhosos.
Porque haverá homens amantes de si mesmos,
avarentos, presunçosos, soberbos,
blasfemos, desobedientes a pais e mães,
ingratos, profanos, (2 Timóteo 3:1,2)

 

Gostaria de ressaltar a expressão usada pelo apóstolo Paulo nestes dois versículos:

“Amantes de si mesmos” e “avarentos” ou “amantes do dinheiro”, para considerar o que se passa ante nossos olhos, na conduta de muitos “pregadores” que se intitulam apóstolos ou bispos, diante de câmeras de televisão, expulsando demônios com a exibição de cenas deveras chocantes, e, ainda, aqueles que pedem aos que foram “curados” que demonstrem sua cura total, deixando muletas, óculos e outros acessórios de lado. A demonstração de um poder que jamais existiu leva os ouvintes ao delírio numa gritaria total.

Em meio a toda esta demonstração, tais “pregadores”, verdadeiros espertalhões, se aproveitam da boa fé de seus espectadores, e vendem “óleo ungido”, “lenços com suor do rosto”, e diversos objetos carregados de “poder”. Ainda há os que “vendem” promessas de uma vida rica e próspera, estipulando altos valores. E os incautos compradores são enganados.

Tais pessoas são as mesmas descritas pelo apóstolo Paulo em sua segunda carta ao seu filho na fé, Timoteo. Externamente são religiosas, professam ser cristãs, porém suas ações falam mais que suas próprias palavras, e demonstram uma mentira em suas vidas. Enganam e são enganadas pelo diabo.

O verdadeiro cristão deve apartar-se de tais falsos “pregadores”, assim como Timoteo em seus dias. “Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te”.(II Tim.3:5). Devemos combatê-los sempre, e procurar apresentar o verdadeiro evangelho que transforma vidas, e que nos aponta para riquezas celestiais que só são encontradas em Cristo.

Vamos proclamar bem alto aquele que se fez pobre por amor de nós, e que nunca prometeu riquezas para esta vida: “Porque já sabeis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, por amor de vós se fez pobre; para que pela sua pobreza enriquecêsseis”. (2ª Coríntios 8:9) “Como contristados, mas sempre alegres; como pobres, mas enriquecendo a muitos; como nada tendo, e possuindo tudo”.(2ª Coríntios 6:10).

Que o Espírito Santo ilumine os corações das pessoas que estão sendo enganadas, levando-as a refletir na pureza do Evangelho, e sem perda de tempo correr ao pé da cruz de Cristo, confessar e se arrepender dos seus pecados. Que alcancem a vida eterna e descansem no poder de Jesus, e deixem de procurar bens e riquezas que são efêmeros, passageiros.

A nova vida que Cristo oferece atravessa a eternidade, e, portanto, vale a pena.

 Que assim seja

 Orlando Arraz Maz©

Orlando Arraz Maz

Orlando Arraz Maz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bem vindo!

Deixe seu comentário no final da postagem aqui no blog.

A SENDA DO CRISTÃO

HINOS E CÂNTICOS

O FOLHETO FALANTE

Clique no folheto que abrirá em PDF

Postagens Recentes

BANDEIRA DA ESPERANÇA

Nossa esperança está no Senhor; ele é o nosso auxílio   e a nossa proteção. Nele se alegra o nosso coração, pois confiamos no seu

Leia mais »

TORRE FORTE E INABALÁVEL

Uma homenagem à Casa de Oração de Jardim Botucatu pelos seus 48 anos de atividade. 1973 – 2021  As torres construídas ao longo da história

Leia mais »

BOAS OBRAS NA PANDEMIA

“Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, mas não tiver amor, nada disso me

Leia mais »

UM NOVO VIGOR

  UM NOVO VIGOR Senhor, traga de novo ao coração do crente A comunhão da igreja dos primeiros dias. A conversão sincera, novo andar e

Leia mais »

QUAL O TAMANHO DO SEU SOFRIMENTO?

  Por isso não desanimamos. Embora exteriormente estejamos a desgastar-nos, interiormente estamos sendo renovados dia após dia, pois os nossos sofrimentos leves e momentâneos estão

Leia mais »

O SANGUE QUE ME PURIFICA

“sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos

Leia mais »