EU NASCI PARA PERDER

Achei muito interessante este artigo, da autoria de Pedro Pamplona, e que gostaria de compartilhá-lo com os amigos deste blog:

 Nasci para perder

Existe um desejo enorme em muitos de nós cristãos por vitória, sucesso, restituição, justiça e prosperidade. Qual o mal nisso, Pedro? É que desejamos tudo isso com olhos humanos e padrões terrenos. Valorizamos o sucesso e a vitória que o mundo ensina, não a Bíblia. Cantamos e até pregamos sobre essas vitórias terrenas, triste ilusão. O que quero dizer hoje é que olhando para a Bíblia, eu nasci pra perder! Isso mesmo, pra perder.

 Sei que sou pecador deste que nasci (Salmos 51:5). Sei que desde lá não mereço nada além da morte (Romanos 6:23). Sei que se estou vivo hoje é pela graça e misericórdia de Deus. Nada fiz para merecer isso. Nunca me movi na direção de Deus sem que Ele se movesse na minha primeiro. Nunca tive nada que não veio dele, até o ar que eu respiro.

 Como posso pedir restituição de alguma coisa? Como posso clamar a Deus pedindo de volta o que era meu? Tudo que eu tinha era o pecado, a morte. Planos? Eu quero os de Deus. Sonhos? Melhores são os de Deus. Tudo que eu tinha era o pecado, a vergonha, a culpa e a condenação. E isso eu quero perder.

 E vou além, quero perder outras coisas. Ao longo da vida sei que conquistamos várias vitórias e bens terrenos. Sei que construímos nosso caráter, estudamos e trabalhamos duro. Construímos uma reputação e características pelas quais somos reconhecidos. Nada disso é ruim em si, mas creio que cristãos devem estar preparados para perder tudo isso a qualquer hora. Vejo isso em Paulo e quero usar suas palavras da Bíblia:

“embora eu mesmo tivesse razões para ter tal confiança. Se alguém pensa que tem razões para confiar na carne, eu ainda mais: circuncidado no oitavo dia de vida, pertencente ao povo de Israel, à tribo de Benjamim, verdadeiro hebreu; quanto à lei, fariseu; quanto ao zelo, perseguidor da igreja; quanto à justiça que há na lei, irrepreensível.” (Filipenses 3:4-6)

 Um homem que confiava na carne. Que confiava no seu sucesso mundano. Que conquistou vitória e sucesso do mundo. Um homem puro sangue hebreu, que construiu uma reputação invejável entre seu povo. Estudou e trabalhou para ser reconhecido pelos homens. E o que aconteceu? Deus tinha outros planos, outros sonhos. Paulo nasceu pra perder. Pra perder tudo o que tinha construído. Pra perder todas as suas vitórias humanas. Deus o queria sofrendo pelo evangelho. Deus derrotou Paulo na estrada para Damasco. Jogou-o no chão derrotado. Paulo havia perdido, mas mal sabia que estava ganhando. Já pensou se Depois de recuperar a visão e receber o Espírito

Paulo pedisse a restituição dos seus sonhos, planos e tudo que ele tinha? Não dá nem para imaginar. Ele disse exatamente o contrário:

 “Mas o que para mim era lucro, passei a considerar perda, por causa de Cristo. Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por cuja causa perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar a Cristo e ser encontrado nele, não tendo a minha própria justiça que procede da lei, mas a que vem mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus e se baseia na fé.” (Filipenses 3:7-9)

 Paulo nasceu pra perder. Aquilo que era lucro agora foi considerado como perda, como esterco. Ele não queria restituição. Não queria de volta sua reputação, riqueza e vitórias. Ele estava agora diante da grandeza do conhecimento de Jesus, por quem ele diz com alegria que perdeu todas as coisas. Paulo nasceu pra perder! Pra perder sua condenação, seu senso de justiça, seu senso de sucesso, sua mente terrena. E ele não disse tudo isso sentado num sofá confortável.

 Paulo realmente perdeu tudo. Se lermos 2 Timóteo 4 vamos ver que Paulo passou seus últimos dias abandonado numa masmorra, sozinho, traído, rejeitado e sem ter o que vestir. Mas leremos também seu grito de vitória no versículo 7: “Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé.” 

 Será que se você chegar ao fim da vida pobre, sozinho, preso, sem nada para se vangloriar aos olhos do mundo você poderá dizer que completou e venceu a corrida?

 Paulo podia, porque ele não nasceu para ganhar, foi para perder. E perdendo aqui, venceu em Cristo. Foi recebido com a coroa eterna no céu.

 Irmãos, todo cristão deve estar preparado para perder tudo por Cristo, não para ganhar. Não há nada nesse mundo que traga verdadeira vitória para quem está em Jesus. Se você acha que por ser crente deve estar preparado e trabalhando para vencer e conquistar tudo aqui e agora, esqueça, você precisa se encontrar com aquele Jesus que deixou tudo o que tinha para morrer por você. Ele mesmo teve que perder para o mundo para vencer na eternidade. E foi a pior derrota, mas também a maior vitória! Por isso Paulo pode dizer ao final:

 “Quero conhecer a Cristo, ao poder da sua ressurreição e à participação em seus sofrimentos, tornando-me como ele em sua morte.” (Filipenses 3:10)

 A maior vitória de um cristão é conhecer a Cristo, nem que tenhamos que perder tudo para isso. Vitória essa que envolve ser participante dos seus sofrimentos, até a morte se for preciso. Nesse mundo meus irmãos, nós nascemos pra perder. Não temos nenhum direito, nenhuma restituição a pedir, nada a reivindicar. Fomos salvos pela graça, e isso é tudo. Jesus é tudo o que precisamos, pois Ele é tudo o que nós temos.Eu nasci pra perder.

 Em Jesus sou mais que vencedor, sou um perdedor vitorioso!

 Soli deo gloria!

 

 

orlandoarraz

orlandoarraz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bem vindo!

Deixe seu comentário no final da postagem aqui no blog.

A SENDA DO CRISTÃO

HINOS E CÂNTICOS

O FOLHETO FALANTE

Clique no folheto que abrirá em PDF

Postagens Recentes

BANDEIRA DA ESPERANÇA

Nossa esperança está no Senhor; ele é o nosso auxílio   e a nossa proteção. Nele se alegra o nosso coração, pois confiamos no seu

Leia mais »

TORRE FORTE E INABALÁVEL

Uma homenagem à Casa de Oração de Jardim Botucatu pelos seus 48 anos de atividade. 1973 – 2021  As torres construídas ao longo da história

Leia mais »

BOAS OBRAS NA PANDEMIA

“Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, mas não tiver amor, nada disso me

Leia mais »

UM NOVO VIGOR

  UM NOVO VIGOR Senhor, traga de novo ao coração do crente A comunhão da igreja dos primeiros dias. A conversão sincera, novo andar e

Leia mais »

QUAL O TAMANHO DO SEU SOFRIMENTO?

  Por isso não desanimamos. Embora exteriormente estejamos a desgastar-nos, interiormente estamos sendo renovados dia após dia, pois os nossos sofrimentos leves e momentâneos estão

Leia mais »

O SANGUE QUE ME PURIFICA

“sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos

Leia mais »