CASA DE PALHA OU DE ROCHA

Desde os confins da terra eu clamo a ti;
com o coração abatido;
põe-me à salvo na rocha mais alta do que eu”(Salmos 61:2)

Quando as dificuldades surgem e invadem o nosso coração, se transformam em verdadeiras muralhas que roubam a nossa paz. Basta uma enfermidade repentina, um desapontamento cruel, uma infeliz desavença e tudo desaba sobre nós de uma só vez.

Davi, o autor deste precioso salmo, é quem o compôs e ao mesmo tempo o entoa com seu  instrumento de cordas que tanto amava. Expressa o sentimento do seu coração, e na sua tristeza pede ao Senhor Deus que prolongue os seus dias. Sente profundamente seu afastamento da casa de Deus, o tabernáculo, em virtude do exílio forçado pela revolta de Absalão. Diante deste quadro, clama por socorro ao Senhor para que atenda sua oração. E o seu desejo é ser levado para a rocha mais alta do que ele. Cria que Deus era sua Rocha, pois conhecia as palavras de Moisés: “Ele é a Rocha, suas obras são perfeitas, e todos os seus caminhos são justos. É Deus fiel, que não comete erros; justo e reto ele é.” (Deut.32:4).

Davi conhecia bem o seu Deus, seu Pastor, e a ele dirige sua oração e sabe que ele é Rocha verdadeira e inabalável.

Quantas vezes em nossas aflições buscamos meios impróprios e sem condições para trazer a paz ao nosso coração. Muitos repetem a oração do “Pai nosso” decorada desde criança, e nem sequer pensam em suas palavras, que não expressam os sentimentos do coração.

Davi colocava para fora tudo o que sentia: “clamo com o coração abatido, põe-me à salvo na Rocha mais alta do que eu”. A Rocha é lugar seguro e traz conforto. Nas palavras proféticas de Moises, Cristo é a nossa Rocha. É ele que sustenta a “casa” que foi construída sobre a rocha. Um refúgio da chuva de dificuldades que evita o desabamento, da tempestade, da perseguição, das enchentes de tentação satânica, do calor da ira divina. Enfim, uma torre forte, duradoura, inabalável, segura para todo o aflito de coração. “Pois tu tens sido o meu refúgio, uma torre forte conta o inimigo.” (Salmos 61:3)

Que esta seja sua sábia decisão, a mesma do rei Davi, que mantinha a certeza em seu coração de “habitar na tenda de Deus e refugiar-se no abrigo de suas asas” (Salmos 61:4),onde “cantaria para sempre louvores cumprindo seus votos cada dia”.(Salmos 61:8).

Deseja um lugar seguro? Busque refúgio na Rocha de nossa Salvação, Jesus Cristo. “Mas o Senhor é a minha torre segura; o meu Deus é a rocha em que encontro refúgio” (Salmos 94:22)

Que assim seja

Orlando Arraz Maz©

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *