CONSOLAÇÃO EM TEMPOS DE PANDEMIA

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo,
o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação!
É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação,
para podermos consolar os que estiverem
em qualquer angústia, com a consolação
com que nós mesmos somos
contemplados por Deus. (II Coríntios 1:3,4)

A epidemia tão avassaladora que atravessamos nos traz momentos de profunda tristeza, com cenas deveras comoventes e notícias que facilmente nos enchem os olhos de lágrimas. Talvez tenha atingido alguns de nossos familiares, irmãos fraternos, amigos, conhecidos, e assim, ficamos sem palavras. O que falar em situações como essas?

Por certo, além de pedirmos a Deus que derrame em seus corações toda consolação, e traga momentos de refrigério, cumpre-nos apresentar as misericórdias de Deus que um dia nos alcançaram. Fomos objetos de seu amor, pois estávamos condenados à morte eterna, e em Cristo nos perdoou, e seu amor foi derramado em nossos corações.

Podemos testemunhar através de nossas experiências que é Deus quem nos conforta em toda situação. Foi ele que se manteve ao nosso lado em momentos de dor, e veio pressuroso enxugar nossas lágrimas. Que um dia descemos ao vale profundo da dor, e sua mão poderosa nos alcançou e nos trouxe à tona, e nos abençoou com sua presença.

O apóstolo Paulo ao escrever sua segunda carta aos Coríntios, expressa neste texto de nossa meditação, que o Deus que o alcançou na estrada de Damasco, é o Pai de Misericórdias e o Deus de toda consolação. Quando perseguia os cristãos com ódio cruel, a luz do céu atravessou-lhe o coração, com sua mensagem da mais profunda misericórdia. E nós, também, conhecedores das misericórdias de Deus, devemos “consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus”.

Um dia o amor de Deus foi derramado em nossos corações, como lemos na sua Palavra: “E a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu” (Romanos 5:5)

Então, mesmo sem palavras, mostremos nossa compaixão suprindo suas necessidades, quer sejam materiais ou espirituais, e sem dúvida se sentirão amados e tocados pelo Espírito Santo.

Assim, sentirão o amor de Deus que foi derramado de forma abundante em nossos corações, fluindo nas suas vidas.

Que assim seja

Orlando Arraz Maz©

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *