JESUS DE DEUS

“Todavia, as notícias a respeito dele se espalhavam ainda mais,
de forma que multidões vinham para ouvi-lo
e para serem curadas de suas doenças”. (Lucas 5:15)

Este texto escrito pelo médico Lucas nos apresenta Jesus sendo procurado por multidões. Ele encantava as pessoas com seus discursos e aquelas que sofriam enfermidades eram curadas verdadeiramente, dando muitas graças a Deus.

Certa ocasião curou dois cegos, e novamente vemos sua compaixão:

Jesus, parando, chamou-os e perguntou-lhes: “O que vocês querem que eu lhes faça?  Responderam eles: “Senhor, queremos que se abram os nossos olhos”. Jesus teve compaixão deles e tocou nos olhos deles. Imediatamente eles recuperaram a visão e o seguiram. (Mateus 20:32-34) E  em todas ocasiões jamais  decepcionou seus seguidores.

Muitos séculos se passaram e ainda existem muitas pessoas procurando cura para seus males, em busca de homens que se dizem “de Deus”, que prometem curas de doenças as mais diversas, que depositam sua confiança neles e logo voltam decepcionadas para suas casas.  São curandeiros fraudulentos despidos de qualquer temor a Deus, e que se aproveitam da ignorância religiosa das pessoas.

Assim, a cura não veio, e a decepção ficou; traumas se instalaram e causaram males sem conta; seus segredos que foram guardados por elas porque foram abusadas, mergulhou-as em profunda depressão, e vivem vidas derrotadas. Uma tragédia.

Que contraste espantoso nas curas de Jesus. Ele sentia compaixão pelas multidões, e estas eram atraídas porque sentiam seu amor profundo. Era verdadeiramente “Jesus de Deus”, que hoje vive nos céus, e ainda pode curar a muitos que depositam sua fé nele.

Jesus, ainda, tem compaixão pelas pessoas, mas em primeiro lugar deseja salvá-las do pecado, quando o confessam como Senhor e Salvador. Ele não vê somente um corpo debilitado que se desfaz com o tempo, mas uma alma que tem a eternidade pela frente.  O segundo passo  quando se busca por uma cura física, é confiar plenamente nele, e esperar que ele fará segundo sua excelsa vontade. Assim fazia o salmista: “Espere no Senhor. Seja forte! Coragem! Espere no Senhor”. (Salmos 27:14)

Por último, há muitos enganadores espalhados pelo mundo, homens maliciosos, perversos, verdadeiros charlatães. Não corra para seus braços, pois são fracos e insensíveis, mas vá imediatamente para os braços de Jesus por que eles esbanjam compaixão.

No passado foi assim, “Clamaram a ti, e foram libertos; em ti confiaram, e não se decepcionaram”. (Salmos 22:5). E hoje ainda é. Ele é imutável.

Que assim seja.

Orlando Arraz Maz©

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *