O APAGADOR DE DEUS

“Tem misericórdia de mim, ó Deus, por teu amor:
por tua grande compaixão apaga as minhas transgressões.
Lava-me de toda a minha culpa e purifica-me do meu pecado.
Pois eu mesmo reconheço as minhas transgressões,
e o meu pecado sempre me persegue”. (Salmos 51:1-3)

Quando lemos este salmo do rei Davi, logo vem à mente: em que condições foi escrito? Talvez com o rosto banhado em lágrimas ou expressão caída como falamos, pois vem à sua lembrança a tragédia em que foi envolvido. Seu pecado foi grande demais segundo sua avaliação. Pecou contra Deus e feriu muitos à sua volta. Matou um homem leal para encobrir seu adultério, e seu povo, por certo, ficou deveras decepcionado.

Davi clama a Deus e pede sua misericórdia, pois sabe que é amado por Ele. Ao mesmo tempo apela por sua grande compaixão, e pede que suas transgressões sejam apagadas.

Quando apagamos algo que foi escrito numa lousa, a sombra sempre permanece. O mesmo se dá ao usarmos uma borracha. Quando usamos o computador, se algo que escrevemos se apagar, basta acionar uma tecla que traz novamente a palavra ou o texto. Nada se perde.

Louvado seja Deus, pois seu apagador é inigualável. Quando Ele faz uso dele, nenhum resquício do que foi escrito contra nós pode ser lido. Não há quem possa ler. O profeta Isaías em seu livro, assim afirma: “Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro.”. Isaías 43:25) .E o profeta Miquéias acrescenta: “Tu lançarás todos os nossos pecados nas profundezas do mar”. Miqueias 7:19)

O apagador de Deus entra em função tão somente quando reconhecemos o nosso pecado. Foi assim com Davi: “Pois eu mesmo reconheço as minhas transgressões, e o meu pecado sempre me persegue”. (Salmos 51:1-3). O apóstolo João também escreve em sua primeira carta: Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (I João 1:8).

Davi tinha plena certeza de que seu pecado não mais o perseguiria. Que tranquilidade para o seu coração ferido de tanta tristeza. Aliviado de tamanho peso, podia seguir confiante no seu Deus, mergulhado em sua mais profunda misericórdia.

E o mesmo pode acontecer, ainda hoje, quando o nosso pecado nos esmagar e tirar completamente a nossa paz. Busquemos o apagador de Deus, confessemos os nossos pecados, e Ele fará o mesmo que fez com Davi. Ele foi totalmente purificado, a alegria voltou novamente, e ele se sentia tão leve na presença de Deus.

A morte de Jesus na cruz, onde o seu sangue foi derramado, nos dá plena garantia da funcionalidade do apagador de Deus: “E o sangue de Jesus seu Filho nos purifica de todo o pecado” (I João 1:7).

Então, como está seu coração na presença de Deus: amargurado, sufocado de tanto chorar, seu pecado é verdadeira opressão? Que tal buscar os recursos de Deus, confessar a sua transgressão, e Ele apagará para sempre seus pecados, e a alegria da salvação será perene em sua vida.

Que assim seja

Orlando Arraz Maz©

 

Esta entrada foi publicada em ARTIGOS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *