MIGALHAS ABENÇOADAS

Ela chegou de mansinho. Veio de um lugar distante.
Ostentava uma cultura grega, pois sua origem era das terras da Fenícia.
E encontrou a casa certa.
Era aquela mesmo. Não foi difícil encontrá-la, apesar de o Mestre ser enfático:

“Que ninguém saiba onde estou”

E sorrateiramente, sem ser notada, entrou.
Jesus estava lá.
Trazia o coração dolorido e os olhos cansados de chorar,
E trazia, também, algo que ninguém podia ver: esperança e fé.
Desejos muitas vezes escondidos no mais profundo ser.

E lançou-se aos pés de Jesus, adorando-o e clamando por socorro:
“Minha filhinha está possessa por um espírito imundo”
E Jesus permaneceu calado, mas não permaneceu distante.
Ele pode olhar nas profundezas daquela alma e sentir a dor daquela mãe.
Ora, ele também tinha sua mãe, ele também era filho.

E Jesus quis testar a fé daquela mulher, ao responder-lhe:
“Preciso dar de comer ao meu povo, pois para eles eu vim”.
“Não é bom desperdiçar o alimento que dá vida e jogá-lo aos cachorrinhos”

E a mulher, ainda prostrada ante  aqueles santos pés,
Na total dependência do poder de Jesus, exclama:

“Mas os cachorrinhos, debaixo da mesa, comem das migalhas das crianças”

E Jesus elogia a magnitude da fé e da humildade daquela mulher, e responde-lhe:
“Por causa desta palavra, podes ir; o demônio já saiu da sua filha”.
E chegando a casa encontrou-a totalmente libertada.

Que eu seja,Senhor, aquela mulher aflita.
E que possa encontrá-lo levando meu coração ferido.

E quantas são, Senhor, as minhas angústias! O medo do amanhã,
O abandono, o assalto, o bandido na esquina, meus filhos na escola…
O inimigo de minha alma querendo possuí-la, levando-me para longe dos teus braços.

Que eu seja aquela mulher, Senhor, e que não meça qualquer esforço para encontrá-lo.
Eu sei que estás sempre por perto. E sabes a razão das minhas lágrimas.

Que eu seja aquela mulher de fé, Senhor, que não argumenta diante da resposta,
Que não se ofende, que não revida, que não lhe trata mal.
E que sabe que só em ti há soluções, não só para o dia a dia,
Mas para o dia eterno, quando tu enxugarás dos olhos toda lágrima;
e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor;
porque já as primeiras coisas são passadas.

Que eu adore como aquela mulher, Senhor, mesmo no mais profundo abismo da minha alma.
E que, prostrado aos teus pés, encontre a solução tão desejada.
E possa descansar em paz e voltar para casa confiante e triunfante:
“Jesus libertou-me das garras do inimigo”.
“Louvadas as migalhas que comi das tuas mãos”

Orlando Arraz Maz

Mateus 15:21 a 28
Marcos 7:24 a 30:

orlando

orlando

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bem vindo!

Deixe seu comentário no final da postagem aqui no blog.

A SENDA DO CRISTÃO

HINOS E CÂNTICOS

O FOLHETO FALANTE

Clique no folheto que abrirá em PDF

Postagens Recentes

BANDEIRA DA ESPERANÇA

Nossa esperança está no Senhor; ele é o nosso auxílio   e a nossa proteção. Nele se alegra o nosso coração, pois confiamos no seu

Leia mais »

TORRE FORTE E INABALÁVEL

Uma homenagem à Casa de Oração de Jardim Botucatu pelos seus 48 anos de atividade. 1973 – 2021  As torres construídas ao longo da história

Leia mais »

BOAS OBRAS NA PANDEMIA

“Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, mas não tiver amor, nada disso me

Leia mais »

UM NOVO VIGOR

  UM NOVO VIGOR Senhor, traga de novo ao coração do crente A comunhão da igreja dos primeiros dias. A conversão sincera, novo andar e

Leia mais »

QUAL O TAMANHO DO SEU SOFRIMENTO?

  Por isso não desanimamos. Embora exteriormente estejamos a desgastar-nos, interiormente estamos sendo renovados dia após dia, pois os nossos sofrimentos leves e momentâneos estão

Leia mais »

O SANGUE QUE ME PURIFICA

“sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos

Leia mais »