PAZ NA PANDEMIA

Com a minha voz clamei ao Senhor;
ele ouviu-me desde o seu santo monte. (Selá)
Eu me deitei e dormi; acordei,
porque o Senhor me sustentou. (Salmos 3:4,5)

Estamos atravessando um momento histórico, pois a pandemia alcançou quase todo o planeta. Costumes e hábitos foram mudados, famílias mudaram sua rotina, o comércio foi restringido, os ganhos das pessoas despencaram, e a economia sofreu sérias consequências . Além de todas estas circunstâncias maléficas, juntou-se a enfermidade e como consequência muitas mortes. O medo se instalou em quase todos, pois ninguém queria ser contaminado pelo vírus fatal.

Muitas opiniões foram dadas. As de cunho científicos apresentando suas causas e a almejada cura com as vacinas; as de razões religiosas, por sua vez, apontando para o castigo de Deus sobre as pessoas com suas práticas pecaminosas.

Entretanto, o pior aconteceu, tirando a paz e o sono de muitas pessoas, especialmente as que perderam seus familiares e amigos. As aflições, como verdadeiras ondas gigantes, submergiram a todos.

O texto desta meditação nos remete a um outro tipo de preocupação, e que da mesma forma como esta pandemia, tirava a paz do salmista, levando-o a uma situação angustiosa. Fisicamente corria sério perigo, e seu espírito estava tão oprimido pelas zombarias de seus adversários. Mas ele busca proteção em Deus e reconhece-o como seu ajudador. No meio de seus problemas se lembra novamente de que Deus é um escudo para protegê-lo. E depois de um dia de tantas aflições, ele vai para sua cama e ora: “Com minha voz clamei ao Senhor” e com plena convicção afirma: “Ele ouviu-me desde o seu santo Monte” (Salmos 3:4). O salmista sabe que ao clamar o Senhor responde sua oração. Daí vem a sua confiança:” Deito-me e pego no sono”. Vai dormir na certeza de que Deus é quem o ajuda e lhe dá um sono gostoso. E ao acordar, está certo de que foi Deus que o fez dormir com tranquilidade. Sua confiança foi aumentada, e assim tem certeza de que seus inimigos não o amedrontarão.

Hoje nosso inimigo não são adversários, exércitos ou guerreiros, mas uma pandemia que tende a nos abater.

Então, o que fazer? Imitar o salmista na sua fé e depositar total confiança em Deus, e sem dúvida teremos um sono profundo, e ao amanhecer exclamaremos: “acordei porque o Senhor me sustentou”.

Somente assim encontraremos calma e sossego ao atravessarmos esta pandemia e tantas outras adversidades.

Que assim seja.

Orlando Arraz Maz©

Orlando Arraz Maz

Orlando Arraz Maz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bem vindo!

Deixe seu comentário no final da postagem aqui no blog.

A SENDA DO CRISTÃO

HINOS E CÂNTICOS

O FOLHETO FALANTE

Clique no folheto que abrirá em PDF

Postagens Recentes

QUAL O TAMANHO DO SEU SOFRIMENTO?

  Por isso não desanimamos. Embora exteriormente estejamos a desgastar-nos, interiormente estamos sendo renovados dia após dia, pois os nossos sofrimentos leves e momentâneos estão

Leia mais »

O SANGUE QUE ME PURIFICA

“sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos

Leia mais »

O MILAGRE DA OBEDIÊNCIA

“Tendo acabado de falar, disse a Simão: “Vá para onde as águas são mais fundas”, e a todos: “Lancem as redes para a pesca”. Simão

Leia mais »

UMA NOVA VISÃO

Lançando sua capa para o lado, de um salto, pôs-se de pé e dirigiu-se a Jesus” (Marcos 10:50)   Quando Jesus deixava a cidade de

Leia mais »